terça-feira, 23 de agosto de 2011

Blog entrevista Rodrigo Santos


O Blog entrevista o baixista do Barão Vermelho Rodrigo Santos que segue em carreira solo e fará show especial no General  com Fernando Magalhães e Kadu Menezes.

                                         

No bate-papo com o Blog, Rodrigo fala da geração marcante dos anos 80, do Barão Vermelho, carreira solo, o lançamento do dvd, a apresentação no Rock in Rio deste ano e da atual cena musical do Brasil.

Confira:



Blog - Fala Rodrigo, td bem ? É um prazer estar recebendo você aqui no nosso blog. Vamos lá. 
Nos anos 80, você tocou com Léo Jaime, João Penca, Lobão entre outros. Ícones do gênero na época. Qual a verdadeira importância da geração rock 80 para a história da música do Brasil?

Rodrigo - Foi a geração que fez a transição da musica de Raul Seixas, Caetano, Gil, Rita Lee, para os jovens que estavam surgindo pós ditadura. A linguagem direta de banda pra jovem, acabando um pouco com a chatérrima MPB vigente nas radios, coisa que volta a cena hoje em dia. As letras eram o forte, uma quebra da censura nos textos que falavam de politica, alistamento militar, filosofia, etc. Apenas a parte de sexo ainda era estranhamente censurada pela Solange (a moça da censura na arte), o que rendeu musica de leo Jaime e Leoni, uma versão de So Lonely, do The Police.

Rodrigo Santos era baixista de Lobão - Gravou  discos como Cuidado,  Sob o Sol de Parador, Lobão Vivo e  Inferno é Fogo
As bandas surgiam de todos os lugares do país, mas quem abriu a porta das FMs mesmo, foram a Blitz e o Ritchie. Depois, Lulu, Lobão, Leo Jaime, Miquinhos, Barão, Legião, Kid, Paralamas, RPM, Ultraje, Titãs, Capital,IRA e Plebe Rude. Um pouquinho depois os Engenheiros do Hawai. Os cds de coletaneas de bandas, misturada a criação do Circo Voador como espaço de shows independentes e a existencia da radio Fluminense, que tocava bandas novas, foi a combustão para a ascenção de toda uma geração que vinha dos saraus e festivais, influenciada pelo punk, new have e rock n roll , principalmente o oriundo da  Inglaterra.

As gravadoras descobriram que rock era viavel no Brasil, passaram a investir nisso e daí toda uma estrutura de shows, equipamentos, turnes e informações se tornariam parte essencial da vida da nova juventude, que estava de saco cheio das canções romanticas que assolavam a MPB. Isso tudo desembocou no Rock in Rio 1.


Rodrigo Santos com Kid Abelha e Léo Jaime nos anos 80


A partir daí o rock vingou mesmo. Antes dessa geração as radios eram dominadas por 80% de programação internacional e a geração dos anos 80 modificou isso, invertendo o mercado. Todos se preocupavam com as letras acima de tudo, diferentemente de hoje.

Blog - Como pintou o Barão Vermelho na sua vida?

Rodrigo - Fui convidado para entrar na banda em 89, quando o Dé saiu, mas estava na estrada com Lobão direto, portanto recusei, nao tinha como aceitar. Nessa época tambem recusei um convite-sondagem do Cazuza, para tocar com ele em sua carreira solo.


Barão em 1.994 na abertura do show do Rolling Stones

Quando o Dadi (que entrara no lugar do Dé no Barão) anunciou que sairia pra tocar com Caetano Veloso, em 1991, eu fui convidado pela galera da banda novamente, dessa vez mais oficialmente.

E aí aceitei. Entrei nas gravações do cd “Supermercados da Vida”, em fevereiro de 1992, dois dias depois do Lobão anunciar que faria shows só de voz e violão. Foi a maior sorte de datas que ja tive na minha vida (rs). Muito sincronizado! Um dia desempregado apenas (rs). De lá pra cá, já são 20 anos de banda!


Supermercados da Vida
                                         

Blog - Você participou dos discos do Barão que consolidaram a banda como marco na música do país. Qual é seu disco preferido, porque a preferência dele e que você acha que mais ficou do Barão para as outras gerações musicais?

Rodrigo - Carne Crua, de 1994. Sem sombra de dúvidas, o melhor. Em todos os  sentidos.Estavamos muito entrosados no estudio, tocando juntos, gravamos todos ao mesmo tempo e as letras tinham humor, amor, loucura, sensualidade, ferocidade...o som é impecável, até hoje não vi um disco assim no rock nacional.




Tem o clássico “Meus bons amigos”. O Cd Puro Extase (98) e os discos (DVDs) ao vivo, tambem foram marcantes. Puro Extase rendeu ao Barão os dois maiores sucessos da banda, pós Cazuza: Por Voce e Puro Extase. Mas Carne Crua é o melhor, disparado. Fico impressionado ao escuta-lo hoje em dia, o quanto estavamos inspirados.


Barão ao Vivo na MTV - 2005


Blog - Quando pintou a vontade de seguir a carreira do Rodrigo Santos solo?

Rodrigo - Na primeira volta do Barão, em 2004, ja recebi a noticia de que em 2007 parariamos de novo (!) sem previsao de volta. Ali decidi que iria começar a carreira solo e que não podia mais depender da banda para o meu futuro. Frejat estava focado em sua carreira, e era prioridade pra ele. Tracei essa mesma meta.





Em 2005 parei com alcool e drogas, em 2007 lancei o primeiro cd. Juntei meu lado de compositor-instrumentista, que ja tinha no Barão e Lobão, com meu lado de cantor, que tinha nos Britos. De lá pra cá são 3 cds e um dvd pra sair em setembro proximo. Mas eu sempre cantei em bandas. na década de 80 eu era vocalista do FRONT. Apenas dei continuidade a essa história, claro que muito mais focado e com experiencia de 25 anos de estrada.




Blog - Além das suas músicas próprias, você toca no seu show as músicas que fizeram parte da sua carreira nas bandas em que tocou? O seu show é sua história?

Rodrigo - É minha história..contada em hits e de influencias musicais minhas. Vai de coisas que compus e gravei, a coisas que curti, ou curto. Claro, conto minha historia no Barão na maior parte do tempo, mas tambem canto Stones, Beatles, Police, Legiao, Paralamas, Raimundos...




Blog - Como está a gravação do DVD ao vivo?

Rodrigo - Foi gravado em 2010 em dois dias antologicos. Estará nas lojas em setembro. Tem participações de Ney Matogrosso, Frejat e muita gente boa, incluindo o tecladista do Guns n Roses , Chris Pitman. Pepeu Gomes tocou com a gente Satisfaction em cima de uma kombi na Praia do Arpoador..já viu, né? Existe um site www.movere.me onde o fã pode adquirir o DVD antes de todo mundo, basta entrar numadas cotas existentes.




Blog - Qual a sua análise atual do rock no Brasil?  O que você anda escutando de novo?

Rodrigo - Nada..a música brasileira horrorosa dominou o mercado: Axé histérico, Sertanejo Universitario, Pagode Mauricinho, Funk Carioca Preconceituoso e Machista, MPB insossa romanticóide e o rock que não é rock, de bandas pré fabricadas com o mesmo texto previsível e chato. 


Rodrigo Santos tocando no Kid Abelha 
Dentro disso ainda consigo achar coisas boas, mas quase todas independentes: Autoramas, Canastra, Vanguart e Marilia Bessy. Gosto das letras de Zeca baleiro, Zelia Duncan, Isabella taviani ,Leoni e pra mim, como atitude que sigo, só me identifico com Lobão, Ney Matogrosso e Nando Reis.

Rodrigo com a Blitz em 2001
Gosto da Pitty, Skank e Detonautas tambem. Claro que tem gente boa, mas o mercado que redescobriu Chico Buarque e Jorge Benjor, invadiu o mercado, veio com uma penca de falsos sambistas-mpbbistas-mauricinhos, valorizados pelas TVs e radios e ficou uma coisa muito irritante..uma grande merda!! Tem clone de Benjor a pampa. Quando se coloca ator de novela então, valha-me Deus !! Talvez até prefira Luan santana do que ator de novela cantando musiquetas sambisticas....e dentro disso, achataram o rock nas radios. Mas vai mudar...ja tem tempo que empurram essas porcariadas pro povo...vai mudar.

Blog - Além do Kadu Menezes, com quem você tocou naquela formação histórica do Lobão no final dos anos 90, Fernando Magalhães do Barão também vem para Jaú. Como está a conversa com os outros integrantes do Barão. Existe uma previsão de volta do Barão?

Rodrigo - Estou focado na minha carreira solo. Não nos encontramos pra falar disso. Meu foco agora é o Rock in Rio (onde toco dia 30.09) e o lançamento do meu primeiro DVD, o que já é muita coisa. Toquei no Rock in Rio 2 com Lobão, Rock in Rio 3 com Barão e agora no Rock in Rio 4 em carreira solo.


Rodrigo e Fernando

Blog - E para finalizar, o que o público de Jaú pode esperar do show de sábado próximo no General? Fizemos um Tributo de 30 anos do Barão na casa e foi um grande sucesso.

Edinho Rodrigues fazendo participação especial no show de Rodrigo  no General em 2.010

Rodrigo - Podem esperar um show com muitos classicos de nossa historia, com letras fortes, musicas da minha carreira solo que tem a ver em formato de power trio, sucessos da dácada de 80 e principalmente prazer em tocar. Isso nós 3 no palco temos de sobra!! Será uma base do que faremos no Rock in Rio.         

Blog - Abraço a você e até sábado.

Rodrigo - Abraço!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário